Conhecer para reter os talentos Y

Novos profissionais possuem uma facilidade para inovar e para enfrentar novos desafios, características essenciais no mercado competitivo atual, afirma professor.

Pesquisa recente da consultoria de gestão Hay Group,realizada com mais de 5,5 mil jovens mostrou que um quinto dos entrevistados já está exercendo cargo de liderança em equipes de trabalho. "Conhecer esta nova geração pós anos 80 é, no mínimo, necessário para a gestão estratégica da organização. Entendê-la e valorizá-la pode ser a chave para um sucesso ainda maior", afirma Alexander Damasceno, diretor da escola de negócios B.I. International.
Damasceno explica que estes novos profissionais possuem uma facilidade para inovar e para enfrentar novos desafios, características essenciais no mercado competitivo atual. "Os Y são grande parte de nossos alunos. Eles são naturalmente empreendedores, inovadores e ousados. Normalmente, investem na carreira com cursos diferenciados e Networking internacionais. Esses profissionais são o que as empresas precisam para se manterem competitivas", afirma.
Outras características desses profissionais foram apontadas em estudo feito pela Bridge Research com 672 profissionais entre 20 e 29 anos em SP, RJ e Porto Alegre. A pesquisa identificou que os principais traços do perfil da Geração Y são:

1- Relação diferente com hierarquia, horários e produtividade.
2- Profissionais que preferem vestir a própria camisa à da empresa.
3- Para permanecer na empresa o essencial é ter feedback constante dos gestores.
4- Buscam mais do que salários e benefícios: são movidos a desafios contínuos.
5- O comprometimento e permanência na empresa depende da capacidade de inovação da organização.

Alexander Damasceno conta que, em virtude desse perfil peculiar, as empresas precisam, muitas vezes, mudar a forma de gerir. "Dar voz a estes profissionais e possibilitar uma flexibilidade de horário, são atitudes importantes do gestor. O profissional precisa se sentir motivado, caso contrário, pode sair em busca de oportunidades que atendam suas necessidades", alerta.
 Como possuem o perfil inovador, querem desenvolvê-lo, por isso gostam de atuar em empresas que permitam a inovação. De acordo com Damasceno, os Y vêem no trabalho não apenas uma forma de ganhar dinheiro, mas de se desenvolver, o que justificaria o resultado da pesquisa de que eles vestem a própria camisa. "Essa geração quer trabalhar sim, mas quer fazer isso com alegria e satisfação pessoal. Para reter esses talentos é preciso motivá-los, incentivar o desenvolvimento da inovação na organização, mostrar para eles o que precisa ser mudado e quais expectativas têm sido cumpridas, enfim, é preciso estabelecer uma relação próxima à amizade, ao invés da costumeira relação de chefe e subordinado", afirma.

Por Redação, www.administradores.com.br

Postagens mais visitadas