29 de julho de 2011

Resenha do filme mãos talentosas

Mãos Talentosas retrata a vida de Ben, um menino pobre, negro, que não tinha muita chance de crescer na vida, ou seja, de se tornar um homem bem sucedido. Ben sempre tirava notas muito baixas na escola e por conta disto era altamente criticado pelos colegas, fazendo com que ele se sentisse como uma pessoa burra, e assim desenvolvendo um temperamento muito agressivo.
A mãe de Ben sempre acreditou no potencial de seu filho, incentivando-o a estudar, a trocar a TV por bons livros, a não desistir, pois acreditava que o filho teria um futuro totalmente diferente do seu.
Através do esforço, incentivo e dedicação da mãe, Ben chegou a ser o melhor aluno da sala. Cresceu e conseguiu alcançar o seu objetivo, não só se tornou médico, mas o melhor neurocirurgião do mundo.
Quando comparamos o filme ao universo do coaching, logo podemos perceber o poder da Programação Mental Positiva, exercida pela mãe de Ben, que o ensinava todo o tempo a materialização dos seus pensamentos, ou seja, fazendo com que ele acreditasse que pensar positivamente o levaria a uma realidade de sucesso, amor e paz.
A mãe de Ben trabalhava em seu filho a Lei da Atenção Concentrada, esta lei dispõe que quando uma pessoa concentra a sua atenção numa ideia  esta se concretiza por si mesma. Ela fez com que ele acreditasse que podia fazer tudo o que as outras pessoas faziam, mas sempre de uma forma melhor. Ajudou-o a expandir sua inteligência e sua crença em Deus e em si mesmo.
Ben foi ajudado por sua mãe a quebrar crenças limitantes e potencializar a sua auto-estima, despertando e aumentando a consciência do seu poder pessoal. Ben passou a caminhar para a evolução do seu eu. Sua fé o levou a perseguir e a alcançar o seu sonho de se tornar um dos mais importantes neurocirurgiões do mundo.


Mônica Bastos

“Porque andamos por fé, e não por vista.” (2 Coríntios 5:7)