15 de abril de 2013

Marcos Feliciano na Presidência da Comissão de Direitos Humanos.

Sou evangélica e talvez a minha posição contra Marcos Feliciano se manter a frente da Comissão de Direitos Humanos, cause polêmica, porém, posso afirmar que tenho argumentação para tal posição.
A Secretaria Especial dos Direitos humanos, é o órgão da Presidência da República que trata da articulação e implementação de políticas públicas voltadas para a promoção e proteção dos direitos humanos, tais como: Criança e Adolescente; Pessoas Idosas; Pessoas Deficientes; Mortos e Desaparecidos Políticos; Combate a Violações; Combate ao Trabalho Escravo; Promoção dos Direitos Humanos; Pessoas com Hanseníase; e também LGBT.
Agora pergunto, o Pr. Marcos Feliciano é evangélico, e como todo evangélico, declara a sua visão a cerca da homossexualidade, ou seja, acreditamos que a prática homossexual é pecado. Como que uma pessoa com uma ideologia declarada pode assumir um cargo que deixa explícito o seu papel em defender os direitos dos homossexuais?
Hoje claramente os homossexuais buscam o direito de oficializar o matrimônio, e agora? O presidente da Comissão de Direitos Humanos vai ter que lutar pelos direitos deles? Mas como isso é possível? Não é possível.
Caso o Pr. Marcos Feliciano na condição de Presidente da Comissão de Direitos Humanos, entre nesta briga, está comprovando a sua falta de ética profissional. O que quero dizer com isso? Que todos nós devemos saber exatamente a nossa posição. Pr. Marcos Feliciano pode como Pr. defender a sua ideologia, mas como parlamentar tem que ser mais cuidadoso. Lembro-me da belíssima posição do Pr. Silas Malafaia, que ao ter a sua visão sobre a homossexualidade questionada como psicólogo, logo se posicionou: “Estou me posicionando como Pastor”. Pastor Silas manteve sua ética profissional, não se posicionou como psicólogo.
Estou bastante preocupada com tudo isso. Pastor Marcos Feliciano não ficará eternamente na Comissão de Direitos Humanos e ao assumir determinado cargo, acredito que deu abertura para que futuramente ativistas gays e outros grupos possam assumir a secretaria. E aí quando isso acontecer? O que iremos fazer? Assim como os homossexuais, ir de encontro. E o que vai acontecer? Simplesmente irão assumir e quem sabe talvez termos dificuldades em relação aos nossos direitos. Na minha visão deveríamos manter a Comissão de Direitos Humanos livre de partidarismo, para que futuramente não venhamos sofrer consequências mais sérias a cerca desta decisão.
Somos evangélicos, porém, profissionais, e como tal devemos manter a ética. Imagine se nós no nosso ambiente de trabalho, impuséssemos para as outras pessoas a nossa visão a cerca do evangelho? Com certeza seríamos demitidos. Fomos chamados para pregar o evangelho de Cristo, mas somos ensinados pela palavra de Deus a fazer tudo com ordem e decência. A Bíblia nos diz: “Porque Deus não é Deus de confusão, senão de paz...” (1 Corintios 14:33). Se Deus não é um Deus de confusão, por que tanta confusão?  A Palavra já não fala mais a verdade?
Lembro-me de uma pregação abençoada que ouvi há certo tempo atrás, e ela nos alertava acerca de unção de Sacerdote e Unção de rei. Acredito fielmente na unção de sacerdote de Marcos Feliciano, porém já não tenho tanta convicção a cerca de sua unção de rei. Sacerdote faça seu papel de sacerdote, deixem os reis cuidarem daquilo que realmente foram chamados.
Sabe o que acontece quando somos por Deus chamados para um propósito e vamos além? Queda, fracasso. O Ministério sacerdotal de nosso amado Pastor Marcos Feliciano está correndo perigo. E alguém pode questionar: Mas será que não foi de Deus o Pr. Marcos ir para o Congresso? Queridos com certeza foi. Porém lembro-me do grande rei Saul.

“E o Espírito do SENHOR se apoderará de ti, e profetizarás com eles, e tornar-te-ás um outro homem. E há de ser que, quando estes sinais te vierem, faze o que achar a tua mão, porque Deus é contigo. Tu, porém, descerás antes de mim a Gilgal, e eis que eu descerei a ti, para sacrificar holocaustos, e para oferecer ofertas pacíficas; ali sete dias esperarás, até que eu venha a ti, e te declare o que hás de fazer.  (1 Samuel 10:6-8)

“Veio, pois, Samuel a Saul; e Saul lhe disse: Bendito sejas tu do SENHOR; cumpri a palavra do SENHOR.” (1 Samuel 15:13)

É necessário ficarmos atentos à voz do Senhor, para não darmos nenhum passo antes que o mesmo autorize. A luta contra a aprovação da lei que permite a união homossexual, não tem nada haver com a Presidência da Comissão de Direitos Humanos. Algumas pessoas estão confusas. Não apoiar Marcos Feliciano na presidência da Comissão de Direitos Humanos, não significa que somos contra a família tradicional, pelo contrário. O que não podemos permitir é ser usados para tal fim, até por que como Presidente da Comissão de Direitos Humanos o Pr. Marcos Feliciano não poderá levantar esta bandeira, salvo se desejar por justa causa ser expulso. Enquanto os evangélicos gritam que são contra a união homossexual, o Pr. Marcos diz: Não entrego a Presidência. Sendo assim, que continuem a briga contra a aprovação do casamento gay, mas, por favor, a briga do Pr. Marcos Feliciano é outra.
Se o Pr. Marcos não pode defender a causa como Presidente da Comissão de Direitos Humanos, por que tanta briga para mantê-lo lá dentro?

Mônica Bastos