10 de abril de 2016

Alcance a resiliência!

Precisamos das chuvas, mas muitas vezes elas trazem essa perturbação atmosférica violenta, desejar o fim de uma coisa, é também desejar o fim da outra. O que fazer?
Viver não é fácil, e para fazermos isso de maneira tranquila, precisamos nos esforçar muito, pois somos seres emocionais e tudo que acontece à nossa volta, dá-nos logo motivos para desistir, entregar os pontos ou até mesmo prosseguirmos com um maior entusiasmo; isso vai depender do nosso nível de resiliência pessoal.

Como você se comporta em meio aos problemas? Foge ou enfrenta? Se você é daquelas pessoas que enfrentam os problemas e ainda se beneficia com eles, você é uma pessoa resiliente. Uma pessoa resiliente é aquela que possui habilidades para lidar com os problemas diários, resistindo a grandes pressões, sem entrar em surto psicológico, transformando todas as experiências negativas em aprendizado e oportunidades. Não é fácil ser resiliente, não é fácil conseguir manter-se sereno diante de uma situação de adversidade; no entanto, se fizermos uma análise das perdas e dos ganhos, podemos comprovar que as pessoas resilientes conseguem com uma facilidade maior ser bem sucedidas.

Para alcançar a resiliência, precisamos manter o foco e a disciplina. É preciso compreender que muitas coisas não estão sob o nosso controle, como por exemplo, as tempestades. Não me lembro de ninguém trabalhando para acabar com elas, até porque, desejar acabar com as tempestades seria, também, desejar acabar com algo indispensável, as tranquilas chuvas.

Precisamos das chuvas, mas muitas vezes elas trazem essa perturbação atmosférica violenta, desejar o fim de uma coisa, é também desejar o fim da outra. O que fazer? Prepararmo-nos para os temporais (problemas, adversidades), que muitas vezes vêm acompanhando as chuvas (sonhos, bênçãos, conquistas).

Em meio à tempestade não podemos fazer muito, a não ser esperar que a mesma se acalme e que vá embora. O importante a ser feito vem depois. Olhar os estragos, os prejuízos e ter a capacidade para colocar a mão na massa e reconstruir tudo.

Sabemos que muitos são os estragos deixados por uma tempestade, mas se analisarmos os destroços, vamos encontrar muita coisa nova trazida de longe que, com certeza, - essas coisas - serão importantes na nossa fase de reedificação e, sem dúvidas, a resiliência nos ajudará.


“Não há céu sem tempestades, nem caminhos sem acidentes.” (O código da Inteligência - Augusto Cury, Thomas Nelson Brasil).

Mônica Bastos
Publicado: http://www.paginarevista.com.br/monica_bastos.html