16 de janeiro de 2017

Corte a corda!

“Saiba que são suas decisões, e não suas condições, que determinam seu destino” - Anthony Robbins.

Infelizmente, muitos de nós têm dificuldades para tomar decisões, isso devido à nossa incredulidade. Geralmente optamos por escolher o caminho mais cômodo, mais fácil; ou seja, o mais previsível e menos arriscado. É preciso compreender, que não é a nossa realidade atual que determina a nossa trajetória e, sim, as nossas decisões.
Nós somos os principais responsáveis pela construção da nossa história, e isso se dá a partir do momento que fazemos escolhas difíceis, porém inteligentes. Penso que a história do Alpinista retrata exatamente a minha visão acerca da tomada de decisões.
Contam que um alpinista, desesperado por conquistar uma altíssima montanha, sozinho, iniciou sua escalada depois de anos de preparação. Durante a subida, foi ficando mais tarde e ele, para ganhar tempo, decidiu não acampar, sendo que continuou subindo e, por fim, escureceu.
A noite era muito densa naquele ponto da montanha, e não se podia ver absolutamente nada. A visibilidade era zero. A lua e as estrelas estavam encobertas pelas nuvens. Ao subir por um caminho estreito, a poucos metros do topo, escorregou e precipitou-se pelos ares, caindo a uma velocidade vertiginosa. Naqueles breves segundos da sua queda, sua vida passava-lhe inteira em sua mente. Quando a morte já lhe era certa, de repente, um fortíssimo solavanco, causado pelo esticar da corda na qual estava amarrado, por sorte, prendera-se às rochas. Nesse momento de solidão, suspenso no ar, não havia nada que pudesse fazer, senão pedir socorro aos céus:

- Meu Deus, ajude-me!
De repente, uma voz vinda dos céus lhe pergunta: 
- Que queres que eu te faça? 
- Salva-me, meu Deus! Respondeu o alpinista.
- Crês realmente que Eu posso salvá-lo?
- Sim, Senhor, eu creio.
- Então, corta a corda!
Depois de um profundo momento de silêncio, o alpinista agarrou-se ainda mais à corda.
- Por que dúvidas? Não crês que eu posso salvá-lo? Insistiu a voz.

Conta a equipe de resgate que, no outro dia, encontraram o alpinista morto, congelado, com as mãos firmemente agarradas à corda, a dois metros do chão.
O que queremos dizer com isso? O que diferencia um vencedor de um perdedor é a sua coragem de tomar uma decisão. A coragem de cortar a corda, na hora certa.

Mônica Bastos