4 de junho de 2011

Coaching ajuda a identificar os "sabotadores" dos investimentos

SÃO PAULO – O coaching existe no Brasil há dez anos, mas somente agora ele tem ganhado força entre os investidores. A proposta é desenvolver e até mesmo superar as principais qualidades e habilidades do aplicador, enquanto se elimina suas limitações e dificuldades.
O empresário Marcelo Baptista, de 38 anos, é um exemplo desses investidores que foram em busca do coaching. Depois de dois anos na bolsa de valores, e de algumas perdas, ele procurou ajuda do profissional quando decidiu fazer aportes maiores de dinheiro. “Queria ter ideia mais clara do que era o mercado, como ele se comportava e qual era o meu perfil”, afirmou.
O sócio da YouTrade, Marcelo Coutinho, identifica o perfil de Baptista entre seus clientes. “O coaching é indicado, primeiro, para aquele investidor que já tentou fazer sozinho, não conseguiu, e que precisa de ajuda em termos de conhecimento. E, segundo, para aquele que está começando e não quer errar”, afirmou.

O que ele faz?

De acordo com o presidente da Sociedade Brasileira de Coaching, Villela da Mata, pessoas de diversas especialidades podem se tornar coach e ele tende a crescer cada vez mais no Brasil voltado para o âmbito dos investimentos.
O coach nesta modalidade trabalha da seguinte maneira: ele monta a estratégia, cria um cenário e elimina os sabotadores que o cliente tem e que podem impedi-lo de atingir seus objetivos. “A partir do momento em que se decide fazer algo, está se perdendo algo. O coach tem de trabalhar nessas perdas”, explicou ele.
Ele ainda tem de trabalhar na noção de prazo do investidor. “O coach faz o aumento da percepção do indivíduo de como as decisões refletem a médio e longo prazo, porque somos seres que queremos recompensas imediatas”.
Baptista sente na pele a presença dos sabotadores. De oito horas de coaching que ele tem para realizar, só fez três. E, neste tempo, já conseguiu perceber que o emocional tem de ser controlado. “Por exemplo, se meu objetivo é ganhar R$ 2 e vejo que a ação caiu, eu vendo. Espero que até o final eu consiga ter bem clara a minha estratégia e ser fiel a ela, o que ainda falta”, disse.

Consultor x Coach


Para ser um coach de investimentos, é preciso entender de finanças e das melhores estratégias para ganhar dinheiro. Mas isso um consultor também pode fazer e indicar para um investidor. Então, qual seria a diferença entre um consultor e um coach?
Na relação coach/investidor, o objetivo é transmitir conceitos estratégicos sobre como gerenciar uma carteira de forma profissional e aproveitar tanto momentos de alta como de baixa para ganhar dinheiro – sem nunca esquecer de estar alinhado aos reais interesses do investidor.
O papel do consultor, por sua vez, é o de ouvir o cliente, estudar seus interesses e patrimônio, para então entregar um produto (ou vários) que atenda às necessidades dele. Baptista resume: “O coach ensina a fazer e o consultor só diz o que fazer”.

3 de junho de 2011

Conhecer para reter os talentos Y

Novos profissionais possuem uma facilidade para inovar e para enfrentar novos desafios, características essenciais no mercado competitivo atual, afirma professor.

Pesquisa recente da consultoria de gestão Hay Group,realizada com mais de 5,5 mil jovens mostrou que um quinto dos entrevistados já está exercendo cargo de liderança em equipes de trabalho. "Conhecer esta nova geração pós anos 80 é, no mínimo, necessário para a gestão estratégica da organização. Entendê-la e valorizá-la pode ser a chave para um sucesso ainda maior", afirma Alexander Damasceno, diretor da escola de negócios B.I. International.
Damasceno explica que estes novos profissionais possuem uma facilidade para inovar e para enfrentar novos desafios, características essenciais no mercado competitivo atual. "Os Y são grande parte de nossos alunos. Eles são naturalmente empreendedores, inovadores e ousados. Normalmente, investem na carreira com cursos diferenciados e Networking internacionais. Esses profissionais são o que as empresas precisam para se manterem competitivas", afirma.
Outras características desses profissionais foram apontadas em estudo feito pela Bridge Research com 672 profissionais entre 20 e 29 anos em SP, RJ e Porto Alegre. A pesquisa identificou que os principais traços do perfil da Geração Y são:

1- Relação diferente com hierarquia, horários e produtividade.
2- Profissionais que preferem vestir a própria camisa à da empresa.
3- Para permanecer na empresa o essencial é ter feedback constante dos gestores.
4- Buscam mais do que salários e benefícios: são movidos a desafios contínuos.
5- O comprometimento e permanência na empresa depende da capacidade de inovação da organização.

Alexander Damasceno conta que, em virtude desse perfil peculiar, as empresas precisam, muitas vezes, mudar a forma de gerir. "Dar voz a estes profissionais e possibilitar uma flexibilidade de horário, são atitudes importantes do gestor. O profissional precisa se sentir motivado, caso contrário, pode sair em busca de oportunidades que atendam suas necessidades", alerta.
 Como possuem o perfil inovador, querem desenvolvê-lo, por isso gostam de atuar em empresas que permitam a inovação. De acordo com Damasceno, os Y vêem no trabalho não apenas uma forma de ganhar dinheiro, mas de se desenvolver, o que justificaria o resultado da pesquisa de que eles vestem a própria camisa. "Essa geração quer trabalhar sim, mas quer fazer isso com alegria e satisfação pessoal. Para reter esses talentos é preciso motivá-los, incentivar o desenvolvimento da inovação na organização, mostrar para eles o que precisa ser mudado e quais expectativas têm sido cumpridas, enfim, é preciso estabelecer uma relação próxima à amizade, ao invés da costumeira relação de chefe e subordinado", afirma.

Por Redação, www.administradores.com.br

2 de junho de 2011

COACH: Alguém que chegou para ajudar você a atingir suas metas

Para ajudar a essas e outras pessoas, surgiu a figura do "Coach", para ajudar a pessoa tanto na vida pessoal quanto empresarial, para relembrar ao indivíduo que existem maneiras de transformar sonhos em realidade, potencial em excelência.

Vivemos numa sociedade que não tolera mais pessoas que se acham "vítimas", pessoas que justificam o seu fracasso. O mundo avança muito rápido e o indivíduo que ficar parado vai naturalmente ser deixado para trás. Para ajudar a essas e outras pessoas, surgiu a figura do "Coach", para ajudar a pessoa tanto na vida pessoal quanto empresarial, para relembrar ao indivíduo que existem maneiras de transformar sonhos em realidade, potencial em excelência. Inteligência emocional, equilíbrio de vida, liderança, negociação efetiva, competências de excelência, alto desempenho, são habilidades aprendidas e nada melhor do que ter um coach para ajudá-lo a desenvolvê-las.
É comum vermos pessoas bem-sucedidas mencionarem a presença de um mentor, alguém mais experiente que acreditou nelas e ajudou-as de alguma forma, para que elas não perdessem tempo cometendo os mesmos erros.
Embora o Coach se assemelhe a figura do mentor, na prática, ele atua de maneira diferente. Seu foco principal é fazer o cliente assumir o controle de sua própria vida, desenvolvendo competências que o façam atingir as metas determinadas por ele (o cliente).
Emprestou-se este nome "Coach" do mundo esportivo, onde o coach (técnico do time) faz o papel do mentor, com objetivo de aumentar o nível de excelência de seus atletas.
Nos últimos dez anos surgiu com força total o papel do coach pessoal e profissional. Existem dois principais motivos para esta atividade estar se difundido tão rapidamente:

1) ele atende a necessidade social e histórica de necessitarmos de um mentor que nos oriente, que nos ajudem a ter mais excelência em nossas vidas pessoais;

2) ele, comprovadamente contribui para uma melhora na produtividade do profissional na empresa, tornando-o mais efetivo e expandindo suas competências

Apesar de lidar com potenciais humanos, o processo de coaching é totalmente diferente de psicoterapia. Com o terapeuta, fala-se de transtornos e traumas emocionais; com o coach fala-se das metas que se pretende alcançar.
O objetivo do coaching é criar a vida mais próxima do ideal projetado pelo cliente, com foco na ação e desempenho.

www.administradores.com.br

1 de junho de 2011

Depois de algum tempo você aprende...

Depois de algum tempo, você aprende a diferença, a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança. E começa a aprender que beijos não são contratos e presentes não são promessas. E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.

E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão. Depois de um tempo você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo. E aprende que não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam... E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la, por isso. Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.

Descobre que se levam anos para se construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que você pode fazer coisas em um instante das quais se arrependerá pelo resto da vida. Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias. E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida. E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher. Aprende que não temos que mudar de amigos se compreendemos que os amigos mudam, percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos.

Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa, por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, pode ser a última vez que as vejamos. Aprende que as circunstâncias e os ambientes tem influência sobre nós, mas nós somos responsáveis por nós mesmos. Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que pode ser. Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser, e que o tempo é curto. Aprende que não importa onde já chegou, mas onde está indo, mas se você não sabe para onde está indo, qualquer lugar serve. Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão, e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados.

Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências. Aprende que paciência requer muita prática. Descobre que algumas vezes a pessoa que você espera que o chute quando você cai é uma das poucas que o ajudam a levantar-se.

Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas do que com quantos aniversários você celebrou. Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha. Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens, poucas coisas são tão humilhantes e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.

Aprende que quando está com raiva tem o direito de estar com raiva, mas isso não te dá o direito de ser cruel. Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer que ame, não significa que esse alguém não o ama, contudo o que pode, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso.
Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, algumas vezes você tem que aprender a perdoar-se a si mesmo. Aprende que com a mesma severidade com que julga, você será em algum momento condenado. Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte. Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás.

Portanto... plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores. E você aprende que realmente pode suportar... que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida!"

31 de maio de 2011

A Idade de Ser Feliz

Existe somente uma idade para a gente ser feliz.
Somente uma época na vida de cada pessoa em que é possível sonhar e fazer planos e ter energia bastante para realizá-los, a despeito de todas as dificuldade e obstáculos.
Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente e desfrutar tudo com toda intensidade sem medo nem culpa de sentir prazer.
Fase dourada em que a gente pode criar e recriar a vida à nossa própria imagem e semelhança e vestir-se com todas as cores e experimentar todos os sabores.
Tempo de entusiasmo e coragem em que todo desafio é mais um convite à luta que a gente enfrenta com toda disposição de tentar algo novo, de novo e de novo, e quantas vezes for preciso.
Essa idade tão fugaz na vida da gente chama-se PRESENTE, também conhecida como AGORA ou JÁ e tem a duração do instante que passa...


Mário Quintana

29 de maio de 2011

Fotos do I Módulo do PSC ( Professional Self Coaching)

                                           Esta sou eu, acima e abaixo também...rsrsrs
                                 Este aí me abraçando é o CARA... José Roberto Marques(IBC)   


                                     
                                         
                                         
                       
                                     
                             
                                            
                                                         
                                           
                               


                                     
                                                           Ivete vc é ótima.
                                       
                                            F
                                           
                                                     
                                                                  
                                       nhecê-los.