13 de junho de 2013

Copo cheio

Quando visualizamos um copo cheio, a primeira coisa que percebemos é que não há espaço em seu interior para mais nada. Se por acaso decidirmos acrescentar algo logo o copo transbordará, se decidirmos esvaziá-lo para enchê-lo novamente não só estaremos desperdiçando o seu conteúdo, como também o trabalho de tê-lo enchido. Então, o que fazer? A opção mais acertada é buscar outro copo para que possamos enchê-lo.
Muitas vezes em nosso ambiente de trabalho nos deparamos com muitos copos cheios. O que seriam estes copos cheios? Esses copos cheios seriam as nossas funções. Como? Digamos que há momentos em nossa carreira que relaxamos tanto ao ponto de estagnarmos. Fazemos tudo o que entendemos que era para ser feito, enchemos os copos e pronto, passamos a esvaziá-los constantemente para que os mesmos possam ser novamente preenchidos, ou optamos por deixá-los transbordar. Quando isso acontece significa que as nossas perspectivas como profissionais já não existem mais, simplesmente estamos vivendo como se já houvéssemos chegado ao ápice das nossas carreiras.
Onde estão os nossos projetos? Onde estão os nossos sonhos? Talvez tenhamos os esquecido dentro de alguma gaveta por aí. E o pior disso tudo é não perceber que estamos ficando para trás, pois estamos cercados de profissionais que diferente de nós; sonham, planejam, trabalham, enchem seus copos e logo procuram outros copos para encherem.
Precisamos aprender a ser mais ecléticos. Lembre-se que existem dois tipos de funcionários que uma empresa não admite: Os que não fazem o que se manda e aqueles que só fazem o que se manda.
Inveja, ciúmes, contendas, intrigas no ambiente de trabalho geralmente nascem de pessoas que ao invés de trabalharem com eficiência e disposição, se acomodam e vivem em função do sucesso alheio.
Por incrível que pareça, existem muitos profissionais que se preocupam em dar o melhor de si, que se preocupam em desenvolver o seu trabalho com excelência, que não se preocupam com os copos alheios, pelo contrário, são pessoas convictas de que na sua caminhada profissional jamais faltarão copos para serem cheios.
Grandes profissionais nunca se preocupam com o que fazer depois que seus copos encherem, pois tem plena convicção de que seus copos jamais acabarão.
Copos de grandes profissionais não transbordam e muito menos precisam ser esvaziados. Grandes profissionais não desperdiçam seu tempo.
E você? Como anda o seu copo?


Mônica Bastos